E-LIXO e sua relação com o meio ambiente

 

Lixo eletrônico é todo equipamento eletrônico antigo ou quebrado, não mais utilizado, como computadores, tablets, celulares, mouses, teclados, cabos, entre outros.

Com o avanço da tecnologia no mundo moderno, há um excesso de lixo eletrônico os quais podem causar diversos impactos negativos no meio ambiente.

 

Lixo Eletrônico e o Meio Ambiente:

 

O lixo eletrônico é produzido por materiais de origem inorgânica, por exemplo, cobre, alumínio, metais pesados (mercúrio, cádmio, berílio e chumbo).

Eles podem comprometer o meio ambiente visto que são compostos por elementos muito poluentes os quais são absorvidos pelo solo e pelos lençóis freáticos comprometendo o equilíbrio ecológico.

Além de poluir o ambiente, o contato com esses produtos pode acarretar em diversas doenças para os animais e os seres humanos.

 

Coleta e Descarte do Lixo Eletrônico:

 

Atualmente, muitas empresas que fabricam e que são responsáveis por grande parte da poluição proveniente dos produtos eletrônicos estão apostando em ações de sustentabilidade e, portanto, oferecem locais apropriados para o descarte desses aparelhos.

Nesse ínterim, a própria empresa recicla esses materiais, gerando outros novos. Há ainda casos em que as pessoas levam seus aparelhos usados e trocam por um novo, mediante o pagamento da diferença.

Um dado importante é que cerca de 80% de todo o lixo eletrônico produzido pelos países desenvolvidos, é transportado para os países pobres, sobretudo da África, do Oriente Médio e da Ásia.

 

Consequências e Possíveis Soluções:

 

Visto as consequências negativas que esse tipo de resíduos pode provocar no meio ambiente, a melhor solução é o descarte correto nas empresas ou cooperativas que recebem esses materiais e os levam para a reciclagem.

 

Esse simples ato, faz com que o ambiente não fique poluído e ainda, favorece a economia com o reaproveitamento de materiais que possam ser reciclados.

Além do descarte em locais apropriados, doações de aparelhos em funcionamento para entidades sociais, podem ajudar a diminuir esse problema.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *